Skip to content

Minha Camila.

escrito por: Ana Jorge

05/11/2021

Tens olhos de mel que abraçam o mundo. E as mãos curiosas de quem sabe a preciosidade de um segundo.

Queres conhecer a fundo o mar, o ar. Saber onde começam, acreditar que não se acabam, ver com o coração, tocar com os olhos. Amar com as mãos.

És pedaço da minha carne, da minha alma és a eternidade.

Tens cabelo de luz, o teu sorriso é o sol. Toda tu és fogueira e calor repentino, vendaval e mudança abrupta.

És, na minha vida, furacão, tornado e a mais bonita chuva de meteoritos. Sento-me e olho-te: a dormir, a correr, a aprender, a amar. És a mais bonita criação do Universo e o meu corpo deu-te vida.

Não há milagre maior.

Olhar-te-ei sempre. E ver-te-ei, sempre. A seres o que quiseres ser, a sonhares o que quiseres sonhar.

Em troca peço-te que ames e que procures ser amada. Como mereces. Que sejas feliz.

Minha filha querida.

Minha Camila.

A tua mãe.

outras entradas no diário

Amor em letras (i)números

Margarida Carrilho
04/04/2022
Mas nos dias em que penso muito o que mais penso é no peso desta dança descompassada Mas que é bela, tão bonita É mar profundo e escuro

Um dia normal

Marta Cruz Lemos
03/04/2022
Barriga cheia, senta entre nós, brinca com a caixinha de tralhas que já tenho a postos na mesa de cabeceira, canta, pede abraços, dá beijinhos. Aguenta uns 20 minutos até termos de nos levantar à pressa, que o senhor quer explorar e não quer ir sozinho.

um dia bom

Maria Veloso
01/04/2022
Acaba março, não sinto aquela excitação do costume, nem com a mudança da hora. Não houve inverno, houve pandemia. Não há dias normais.
×

Subscrever newsletter