Skip to content

Música na gravidez

escrito por: Joana Maria

26/06/2021

Se há coisa que sempre amei é ouvir música, desde que me lembro de ser gente que sempre andei com walkman’s, mais tarde discman’s, depois mp3 e mais recentemente basta o telemóvel para ter música à disposição seja onde for. Quando confirmei que estava grávida essa foi uma das primeiras coisas sobre as quais fui ler, será que os bebés ouvem realmente música quando estão na barriga? Já tinha ouvido dizer que sim mas queria ler mais sobre isso. Li muitos artigos e realmente confirmavam aquilo que tinha ouvido, há muitos benefícios e a partir do terceiro trimestre os bebés ouvem de facto sons, vozes e música.

Para ser sincera não esperei, a partir desse momento meti o Little Alien a ouvir música. Ao longo da gravidez tornou-se claro para mim a tendência de colocar vezes sem conta uma música em particular para ele ouvir, “Waiting on an Angel” do Ben Harper, não por ser a minha preferida, era apenas uma música que gostava, tal como muitas outras mas tinha uma tendência para o meter a ouvir aquela, talvez pela lamechice do título. Mas também não esperava que viesse aí nenhum anjinho e realmente não veio, veio um maroto. Resumindo, não sei porque tinha uma tendência para aquela música. Só sei que na primeira semana de vida do Little Alien tive dos momentos mais emotivos da minha vida por causa dessa música, estávamos a meio da noite, a tentar lidar com a maior crise de cólicas que ele tinha tido até ao momento, desesperados mesmo à pais novatos, sem saber o que fazer mais, ele não parava de chorar completamente desesperado também, depois de tentarmos de tudo lembrei-me do que tinha lido no início da gravidez, que muitas vezes os bebés acalmam quando ouvem músicas que tinham ouvido ao longo da gestação.

Era o momento, agora é que eu ia realmente tirar as minhas dúvidas, sem hesitação escolhi essa música e esperámos atentos, mal ele começou a ouvir os primeiros acordes da música no meio dos berros de choro, parou de chorar, ficou muito atento a ouvir a música e adormeceu. No silêncio que se fez, apenas com a música a tocar, a olhar para ele comecei a chorar e a sorrir ao mesmo tempo. Estava tão comovida, nós realmente tínhamos estado a comunicar durante aquele tempo todo, era verdade, ele ouvia-me e ouviu tudo aquilo que meti a tocar para ele.

outras entradas no diário

Amor em letras (i)números

Margarida Carrilho
04/04/2022
Mas nos dias em que penso muito o que mais penso é no peso desta dança descompassada Mas que é bela, tão bonita É mar profundo e escuro

Um dia normal

Marta Cruz Lemos
03/04/2022
Barriga cheia, senta entre nós, brinca com a caixinha de tralhas que já tenho a postos na mesa de cabeceira, canta, pede abraços, dá beijinhos. Aguenta uns 20 minutos até termos de nos levantar à pressa, que o senhor quer explorar e não quer ir sozinho.

um dia bom

Maria Veloso
01/04/2022
Acaba março, não sinto aquela excitação do costume, nem com a mudança da hora. Não houve inverno, houve pandemia. Não há dias normais.